Há 419 anos o rebelde e contestador Giordano Bruno foi queimado na fogueira por ter defendido teorias astronômicas que foram comprovadas anos depois. Ainda que seus métodos tenham sido duvidosos e de teor que dificilmente seriam aceitos nos moldes atuais de ciência, Bruno descobriu com material limitado, coisas que o homem moderno demorou décadas. Em 17 de Fevereiro de 1600, há pouco mais de 419 anos a Roma foi palco da morte de Giordano Bruno, morto pela Santa Inquisição frente à centenas de pessoas que assistiam o fogo consumir seu corpo. Hoje o local é conhecido como o Campo das Flores (Campi dei Fiori). Tendo sido padre, filósofo, autor de peças de teatro, nascido em Nápoles e responsável por belas poesias que circulam a literatura clássica até hoje, Giordano Bruno (que nascera Filippo Bruno) discordava veementemente das definições de que a Terra era o centro do universo.

GIORDANO BRUNO: O ITALIANO RESPONSÁVEL POR UMA DAS MAIORES DESCOBERTAS

Que a Itália é terra de grandes filósofos e cientistas todos nós sabemos, mas o que intriga os estudiosos hoje é como Giordano chegou a conclusões tão próximas da realidade hoje vista pelo nosso aparato tecnológico. O temperamento inquieto e contestador do cientista o levou à fogueira pela Santa Inquisição, mesmo que ele já tenha sido padre em sua história. Seu histórico de atrito com a igreja começou quando ele leu os textos proibidos de Desidério Erasmo, um filósofo holandês. Isso lhe gerou a excomunhão, o que o fez se aproximar ainda mais da ciência e dos conhecimentos do universo que o circundava.

O JULGAMENTO DE GIORDANO

Em Roma, Giordano passou por temíveis 8 anos de ansiedade enquanto seu processo era julgado, e fora condenado por sustentar opiniões contrárias à fé católica, assim como contra Jesus Cristo, a virgindade de Maria, e até mesmo por se envolver com Magia e Adivinhação. Ainda que tenha sido condenado e queimado na fogueira, sua filosofia vive até hoje, através de frases como: “Nós declaramos esse espaço infinito, dado que não há qualquer razão, conveniência, possibilidade, sentido ou natureza que lhe trace um limite” Além disso, Bruno era Hilozoísta e Panpsiquista, o que significa que para ele, tudo teria uma forma de vida, assim como tudo teria uma natureza psíquica, como uma alma. Tais pensamentos iam totalmente de encontro com o que a Igreja Católica pregava. Ainda que dotado de tanta resistência em seu tempo, isso não o impediu de escrever notáveis 36 livros! A maior parte deles foi banido pela igreja à época, mas hoje muitos deles são encontrados na internet. Você pode encontra-los clicando aqui.

QUE TAL IR À NÁPOLES REVISITAR OS PASSOS DE GIORDANO?

Nascido e criado no reino de Nápoles, tendo estudado no Mosteiro de São Domingos (onde São Tomás de Aquino também ensinava), Nápoles é um dos principais lugares que moldaram a personalidade de Giordano, o estimulando a crescer e desenvolver-se como filósofo e cientista. Lá você ainda poderá conhecer o Vesúvio, assim como o Palácio Real, o Castelo Nuovo e o Museu Arqueológico de Nápoles! Para isso, é sempre interessante estar em dia com o Consulado Italiano, para não ter problema algum na renovação ou emissão de seu Passaporte Italiano, ok? Lembre de falar com a Prenota4u se precisar de qualquer ajuda na atualização de seus dados perante sua comune ou mesmo no agendamento de seu comparecimento ao consulado no sistema deles. Quer falar conosco? Entre em contato pelo nosso e-mail: [email protected] (: Estamos aguardando seu contato desde já!